quinta-feira, 21 de novembro de 2013

My Dear Brother From Evil Capitulo 11

                                                               Te odeio, não me deixe
                                Te odeio, por favor me ame(Demi Lovato-I Hate You Don't Leave Me)

Me encontro já em sua cama,o sinto se afastar de mim e o mesmo sair pela porta
Respirei fundo e pensei na hipótese que ele me deixaria ali naquele estado mas não segundos depois ele estava de volta com uma taça em mãos
-Você confia em mim?-fala ofegante
Faço que sim com a cabeça, os olhos arregalados, o coração saltando, o sangue latejando nas veias. Ele põe a mão no bolso da calça e tira aquela gravata de seda cinza...
(...) Com grande agilidade, ele monta em mim, já prendendo os meus pulsos, mas, dessa vez, amarra a outra ponta da gravata numa das colunas da cabeceira da cama. Ele puxa o laço, verificando se está firme. Não posso sair do lugar. Estou presa, literalmente, à minha cama, e estou muito excitada. (...)
- Se você se debater, amarro seus pés também. Se fizer algum barulho, Ivy, eu a amordaço. Fique quieta. (...)
Ele torna a montar em mim, puxa a minha camiseta, e acho que vai tirá-la, mas a enrola até o meu pescoço e puxa um pouco mais para cima, deixando-me com a boca e o nariz descobertos, mas os olhos tapados. E, como a camiseta está dobrada, não consigo enxergar nada através dela. (...)
- Está com sede, pequena Ivy? - pergunta, num tom provocante.
- Estou - sussurro, porque de repente fico com a boca seca.
Ouço o gelo tilintando no copo, e ele se inclina e me beija, enchendo minha boca com um líquido delicioso e geladinho. É vinho. Aquilo é tão inesperado, tão quente, apesar de estar gelado e os lábios de Justin estarem frios. (...)
Fico tensa. Ele torna a balançar o copo, e me beija, passando para a minha boca uma pedrinha de gelo com um pouco de vinho. Sem pressa, ele vai me dando beijos gelados até chegar ao centro do meu corpo, começando no pescoço, descendo por entre os seios, passando pelo torso até a barriga. Solta um pedacinho de gelo em meu umbigo, numa poça gelada de vinho. Isso faz com que eu me sinta queimando por dentro, por todo o caminho, até lá embaixo. Uau. (...)
Com um dedo, ele abaixa os bojos do meu sutiã um de cada vez, levantando os meus seios, expostos e vulneráveis. Inclinando-se, ele beija e puxa os meus mamilos, um de cada vez, com aqueles lábios gelados. (...)
Ouço o gelo tilintar de novo, e aí o sinto em volta do mamilo direito enquanto ele puxa o esquerdo com os lábios. Gemo, tentando não me mexer. É uma tortura doce e torturante
- Se derramar o vinho, não deixo você gozar.
- Ah... por favor... Juss... Justin... Por favor.
Ele está me deixando louca. Ouço-o soltar uma risada fraca
O gelo no meu umbigo está derretendo. Estou para lá de quente - quente e gelada e querendo ele dentro de mim. Agora. Seus dedos frios passeiam devagar pela minha barriga. Minha pele está supersensível, meus quadris arqueiam automaticamente, e o líquido no meu umbigo, agora mais quente, escorre pela minha barriga. Justin mais que depressa o lambe, me beijando, me mordendo de leve, me chupando.
-Ivy, você se mexeu. O que vou fazer com você?
(...) Seus dedos deslizam para dentro da minha calcinha, e sou recompensada com o gemido rouco que ele deixa escapar.
-Ah, Ivy - murmura, e enfia dois dedos dentro de mim.
Suspiro.
-Já está pronta para mim tão cedo - diz ele.
Ele fica enfiando e tirando os dedos com uma lentidão tentadora, e levanto os quadris, me apertando contra ele.
-Você é uma garota voraz - adverte ele baixinho, passando o polegar em volta do meu clitóris e depois pressionando-o.
(...) Ele se abaixa e me beija, ainda mexendo os dedos ritmadamente dentro de mim, rodando e pressionando o polegar. Ele me agarra pelo cabelo, impedindo que eu mexa a cabeça. Sua língua imita o que seus dedos fazem. Começo a tensionar as pernas fazendo pressão contra a mão dele. Ele relaxa a mão, obrigando-me a recuar quando já estou quase lá. Faz isso repetidas vezes. É muito frustrante...
- Esse é o seu castigo, tão perto e, no entanto, tão longe. É legal? - sussurra ele no meu ouvido.
-Gemo, exausta, esticando a amarra. Estou impotente, perdida num tormento erótico.
-Por favor - imploro, e ele finalmente tem pena de mim. (...)
Ah... meu corpo começa a estremecer. Ele para de novo. (...)
-O que você quer, Ivy?
-Você... agora - imploro. (...)
Ele retira a mão e pega um envelopinho de papel laminado na mesa de cabeceira. Ajoelha-se entre as minhas pernas, e, bem devagar, tira a minha calcinha, olhando para mim, os olhos brilhando. (...)
Estou explodindo de tensão sexual. Ele me olha por um instante, avaliando o meu desejo, aí me agarra de repente e me vira.Isso me pega de surpresa, e, por estar com as mãos atadas, tenho que me apoiar nos cotovelos. Ele empurra meus dois joelhos cama acima, me deixando de quatro, e me dá uma palmada forte. Antes que eu possa reagir, ele me penetra. Grito - por causa da palmada e da súbita investida dele, e gozo na mesma hora e torno a gozar de novo e de novo, desmontando embaixo dele enquanto ele continua a me penetrar deliciosamente.
Ele não para. Estou exausta. Não aguento mais... e ele não para de meter... estou ficando excitada de novo... claro que não... não...
-Goza para mim, Ivy, de novo - grunhe ele entre dentes, e, incrivelmente, meu corpo responde, estremecendo enquanto tenho outro orgasmo, gritando o nome dele. Torno a me estilhaçar em mil pedaços, e Justin para, finalmente se deixando ir, gozando calado. Ele desaba em cima de mim, ofegando.
Justin me solta e me puxa para seus braços,apoio minha cabeça em seu peito fechando meus olhos
Eu tinha uma escolha deixar o passado pra trás e viver minha vida com Tyler,eu seria feliz com ele,mas então porque viver intensamente esse amor proibido me parecia a escolha correta?

Sim isso é uma parte do livro 50 tons de cinza,estou sem criatividade e eu achei que ficava legal assim,espero que vocês gostem e prometo que as próximas eu mesma irei escrever ok,bjs

Sorry !!!!

Oiee vocês devem estar me matando mentalmente eu sei eu mereço isso,juro que postarei sábado ou domingo um dos imagines só não sei qual ainda
Espero que vocês comentem e sinto muito por demorar tanto para postar 
Bjs Amo Vocês
Fiquem com esses lindos Bye

terça-feira, 12 de novembro de 2013

domingo, 3 de novembro de 2013

Crazy and Obsessive Capitulo 4

                                                   Os únicos ruídos na minha cabeça
                                                         São consumidos por sua voz
                                                                 De toda a dor e ódio
                                                 Quanto tempo você pode chutar alguém
                                            Antes que um pé se quebre?(Demi Lovato-Open)

Alison On:Eu estava pasma e ao mesmo tempo morrendo de medo não sabia
do que ele era capaz
Seu sorriso continuava estampado em seu rosto e seus olhos eram fixos
em mim

Justin:está com fome? que pergunta é claro que está
Eu:como você conseguiu entrar aqui?
Justin:não foi muito difícil

Ele falou isso simplismente como se fosse a coisa mais natural do
mundo e o que me dá mais medo é a sua calma como se tudo estivesse perfeitamente certo

Eu:eu quero que você vá embora agora
Justin:bom é melhor você tomar um banho enquanto eu preparo alguma
coisa pra gente comer
Eu:eu não estou com fome
Justin:e eu não estou pedindo

Jogou a toalha em cima da cama e se dirigiu a porta

Justin:não demore

Sai correndo tentando achar um celular ou alguma coisa que pudesse me ajudar
Acabei não encontrando nada,me dirigi á janela tentando abrir a mesma o que não
adiantou em nada
Eu estava trancada com um maluco que eu não sei do que é capaz,desci
as escadas e o mesmo se encontrava em frenta ao fogão até o avental do meu pai ele estava usando

Justin:você não foi tomar banho como eu mandei 
Eu:você não manda em mim

Justin se aproximou de mim deixando nossos rostos bem próximos 
e me prençou no balção da cozinha

Justin:é melhor você fazer o que eu mando 
Eu:o que você quer comigo?
Justin:relaxa até pareçe que eu vou tentar te matar-riu
Eu:então porque trancou tudo?
Justin:por precaução

Ele se afastou rapidamente de mim,voltando para o fogão

Justin:eu fiz panquecas espero que goste
Eu:não estou com fome
Justin:eu ja volto,e quando eu voltar espero que você esteje
sentada comendo

Ele se dirigiu ao meu quarto novamente me deixando ali,
corri até a porta tentando abrir e a maldita estava fechada
Fui até a mesinha do lado do sofá e encontrei a chave reserva que papai sempre deixa pra mim,
me aproximei da porta e assim que consegui a abrir senti a mesma fechando em segundos e meu corpo
sendo jogado com força na mesma,tanta força que senti uma dor insuportável nas costas
Aqueles olhos cor-de-mel qu agora me olhavam com fúria e suas mãos seguravam com força 
meus braços ao lado do meu corpo

Justin:porra o que eu disse pra você fazer?

Eu estava tremendo de medo do que ele poderia fazer,porque eu?
Não passo de uma esquisita que acabou de se mudar,tudo o que eu queria era
acordar agora e tudo isso não pasasse de um terrível pesadelo